Contraturno

0
Comprometimento
0
Excelência
0
Profissionalismo
0
Dedicação

UEPA

Referência em estimulação pedagógica e terapêutica

Contraturno

Programa especialmente elaborado para crianças e jovens com deficiência, que frequentam a escola regular e apresentam dificuldade em acompanhar a sala.

A nossa proposta pedagógica e terapêutica para o contraturno tem o objetivo de reforçar conteúdos e trabalhar atividades que melhorem o desempenho da criança na escola regular.
No contraturno o aluno frequenta a UEPA no horário oposto ao da escola, para atividades de reforço com equipe interdisciplinar, formada por pedagogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo e fisioterapeuta.
Para quem é indicado?
• crianças com deficiência que frequentam a escola regular e têm dificuldade para acompanhar a classe;
• alunos da escola regular que precisam de adaptação de materiais, mobiliário e conteúdo pedagógico.
Após uma minuciosa avaliação planejamos todo o trabalho, que é feito de forma individual e interdisciplinar, envolvendo os terapeutas e a equipe pedagógica.
É muito importante que a criança com deficiência entenda um pouco mais a respeito de suas dificuldades e conviva com outras crianças com deficiência.
Todos nós somos diferentes e isso é muito importante reforçar! Podemos fazer parte da sociedade sem que nossas diferenças nos caracterizem.
Nós trabalhamos esses conceitos desde cedo para que a criança desenvolva sua autoestima, o conhecimento a respeito de si própria e todas as possibilidades de desenvolver sua autonomia e ser atuante em seu grupo!
GRUPO DE PRÁTICAS INCLUSIVAS – foco na criança e adolescente da escola regular.

Nossas Propostas:

1. Ao aluno
• Oficinas de Práticas de Linguagem
Grupos de até 4 crianças ou adolescentes, com encontros semanais, nos quais são desenvolvidos projetos que se ocupam da prática social em que os textos se desenvolvem, visando o uso funcional da leitura e da escrita nas diferentes situações comunicativas – exemplos: produção de livro de receitas, de um guia cultural da cidade ou de um documentário audiovisual sobre Olimpíadas; a ênfase nesse caso está na reflexão dos alunos nas situações de pesquisa e produção.
• Atendimento individualizado aos alunos incluídos na escola regular
Intervenções específicas de acordo com as demandas pessoais da criança ou adolescente com a finalidade que avance na compreensão e no uso da língua oral e da língua escrita, levando em conta o projeto educativo da escola na qual está incluído.
• Saídas pedagógicas
As crianças e adolescentes do grupo de práticas inclusivas podem participar das saídas pedagógicas da escola U.E.P.A., as quais são vinculadas a projetos da escola nas áreas de Ciências e Estudos Sociais e acontecem todos os semestres. Desse modo, terão a oportunidade de socializar e de se sentirem potentes na interação com outros alunos que também possuem alguma dificuldade.
2. À escola
• Adaptação e personalização de currículo
• Produção e adaptação de material didático
• Tipo e critérios de avaliação
• Organização da grade horária
• Formação do mediador
• Workshops/ cursos/ palestras para profissionais que atuam com o aluno de inclusão
• Vivências na escola U.E.P.A.
Trabalhar com alunos com deficiências é um grande desafio aos educadores. Atualmente espera-se que as escolas regulares incluam essas crianças; no entanto é necessária uma prática responsável, que vise o desenvolvimento real e integral do aluno e não apenas sua adaptação ao ambiente escolar. É preciso olhar o deficiente além de suas limitações, para suas reais possibilidades, para o potencial que tem para aprender e se desenvolver, para o conhecimento prévio que também possui sobre os assuntos e conteúdos abordados; e não colocá-lo na posição daquele que não tem condições de aprender, de participar, de opinar e de interagir, daquele que não faz as coisas sozinho, que precisa sempre de alguém atuando por ele.
Nesse sentido, é importante que a escola tenha clareza das suas possibilidades na atuação com alunos de inclusão: como organizar um currículo, como montar um plano de estudos personalizado, quando manter ou não o aluno dentro da sala de aula, quando tirar o aluno de sala para desenvolver um trabalho paralelo, como proporcionar situações em que a criança ou adolescente se sinta potente diante do grupo, como e quais critérios usar na avaliação e qual material disponibilizar.
O grupo se propõe a orientar e a apoiar todos os profissionais envolvidos na escolaridade de crianças e adolescentes de inclusão a fim de garantir o avanço deles. Além disso, coloca à disposição situações de vivência escolar na U.E.P.A., para que os professores e mediadores possam ter conhecimento de possibilidades de trabalho com alunos com alguma dificuldade.
3. À família
 Orientação quanto aos  procedimentos para identificação das dificuldades e habilidades;  estímulos à superação das áreas frágeis e potencialização das habilidades; rotina e comportamento, visando o desenvolvimento da criança e/ou adolescente.

Nossa proposta

Os alunos frequentam a UEPA em horário oposto ao turno escolar e participam de atividades pedagógicas e terapêuticas.

Orientado ás necessidades de cada criança e que visa melhorar o desempenho em atividades escolares, por exemplo, melhora da postura, da concentração, do acesso à escrita e à leitura, e etc. Pode ser feito com fisioterapeuta, fonoaudióloga e/ou terapeuta ocupacional.

Feito por uma equipe com fisioterapeuta, fonoaudiólogo e terapeuta ocupacional, que trabalharão os mesmos objetivos para desenvolvimento global da criança. Uma área complementa o trabalho da outra.

Retorno sobre as atividades que estão sendo trabalhadas e orientação quanto ás necessidades do aluno na escola regular.

Visa melhorar o desempenho em atividades escolares, por exemplo, melhora da postura, da concentração, do acesso à escrita e à leitura, e etc.

Pode ser feito com fisioterapeuta, fonoaudiólogo e/ou terapeuta ocupacional.

Assine nossa newsletter